No camarim com Biquini Cavadão

Desde o lançamento do CD/DVD Ao Vivo, em abril de 2005, a banda Biquini Cavadão bate recordes de venda e público. No dia 2 de Julho deste ano foi a vez de Viçosa receber Álvaro (bateria), Bruno (voz), Coelho (guitarra, violão e vocais) e Miguel (teclados e vocais), que após 21 anos de carreira ainda arrastam para os shows fãs de todas as gerações. A apresentação da banda conta com as participações de Patrick Laplan (baixo), e Walmer Carvalho (sax, percussão e vocais). Bruno Gouveia falou ao Estúdio Ao Vivo e fez o apelo de reabrirem o Recanto das Cigarras, antigo “palco” dos artistas que vinham se apresentar em Viçosa.

Tom Hertz · Tem previsão para o lançamento de um CD de inéditas?
Bruno Gouveia · Tem, a gente vai gravar logo e trabalhar algumas músicas novas. A idéia é sair no começo do ano que vem, até porque a agenda está muito boa, então a gente está diminuindo um pouco pra ter tempo de trabalhar no novo disco.

Tom Hertz · As músicas mais tocadas pelo Biquini, atualmente, são as baladas românticas, como Quanto Tempo Demora um Mês, Vou te levar comigo pra longe… É uma tendência da banda deixar um pouco de lado as letras mais críticas?
Bruno Gouveia · É um lado introspectivo do Biquini, que já aflorou várias vezes, como é o caso de Timidez, Impossível. Acho que infelizmente, o país nos dá condição pra gente falar muito sobre essas coisas (crises). E nada pode vir gratuito também. Não adianta nada você fazer uma crítica falando uma bobagem qualquer. Viver o óbvio não vale. Tem algumas canções que estão sendo feitas, mas a gente sempre acha que no final das contas canções é que vão falar mais alto. Ter um disco todo mais romântico ou mais balada ou mais roqueiro… as músicas vão sempre prevalecer sobre a própria vontade. É como uma seleção brasileira, você precisa ter um conjunto de coisas funcionando: bons jogadores, um bom esquema tático, garra, vontade. É a mesma coisa: você tem que ter bons músicos, bons arranjos e boas letras.

TH · Quais as bandas que influenciam vocês? O que vocês escutam hoje é muito diferente do que costumavam escutar no início da carreira?
BG · A gente está sempre ouvindo música antiga, nova… A gente está ouvindo o White Stripes e Green Day; a gente tá ouvindo Coldplay e o Roling Stones. O que é bom, você não deixa de ouvir. São coisas quer sempre dão um toquezinho a mais pra gente, sempre nos instigam, nos ajudam a criar coisas novas. Sempre como uma influência, não como uma vontade de copiar. É você ver que aquilo ali é um caminho interessante pra você começar a chegar.

Álvaro, Bruno, Coelho e Miguel

TH · O que faz a música do Biquíni ser tão atual, não ser efêmera? Muitas das músicas que o público escuta hoje são as mesmas que eram cantadas no início da carreira da banda…
BG · A gente tem muito orgulho de ver que hoje tem uma galera de 15 anos, 18 anos ou que são mais novas inclusive que a própria banda, cresceram ouvindo as músicas do Biquini porque era o que mais tocava em casa. Então quando a gente toca as músicas antigas ela sabe tanto quanto as novas. Ela sabe cantar Timidez da mesma forma que sabe cantar Quanto Tempo Demora um Mês. Pra gente é um motivo de orgulho, significa que o nosso objetivo foi cumprido, de fazer música com atitude, com a cabeça.

TH · Como é o processo de composição?
BG · Na verdade, é expontâneo porque vai aparecer em função do que estamos tocando. Não é uma coisa tão provocada. E cada um tem uma maneira de pensar. O que eu escrevo é aquilo que estou sentindo, gosto de escrever em engarrafamento… Eu até falo que o melhor videoclipe que eu vejo é aquele que eu estou dentro do carro e eu cponho alguma música. E aquela música começa a combinar com coisas que estão acontecendo à minha volta. Pode ser uma palavra linda, pode ser um menino pedindo esmola, pode ser um casal apaixonado, um pôr-do-sol. Às vezes eu tenho vontade de fazer um clipe assim, pegar e gravar tudo que estou vendo enquanto estou passando de carro. Porque todos nós temos um videoclipe e a composição barte muitas vezes aí.

TH · Uma curiosidade: quem são Dani e Janaína (das músicas homônimas)?
BG · Tem duas “Danis”: a Dani Monteiro e a Dani Schimidt. Dani Schimidt é a que estava no bar no dia que o Coelho e o Manno Góes, batendo papo, resolveram fazer uma música com o nome de alguém. E se viraram pra primeira pessoa q viram e falaram “qual o seu nome?” E ela respondeu “Dani”. E fizeram a música. E Janaína, eu gostava do nome, achava bonito e queria fazer uma música. Mas a pessoa que me inspirou a fazer isso foi uma mulher que trabalha pra minha mãe há muitos anos, me conhece desde os 5 anos de idade, sempre batalhou muito pela vida dela e me inspirou a escrever sobre alguém que acredita nos sonhos. No Brasil tem não uma, mas milhares de Janaínas, milhões delas que acreditam nos seus sonhos e passam a ser feliz.

···
Programe-se! Confira os próximos shows do Biquini Cavadão:

22/10 Salvador-BA (Othon Hotel)
27/10 Manaus-AM
28/10 São Luiz-MA

Anúncios

5 comentários sobre “

  1. Mto legal a materia com o biquini, eles sao perfeitos, mas tem um errinho soh, a musica Dani, foi feita pelo Coelho juntamente com o Manno Góes e nao Manno “Boy´´…
    parabens!!
    bjaoo

  2. valeu, dani! correção feita =) grande abraço!

  3. entrevista muito boa, parabens!
    salve, salve biquini’s.

    Abs.
    #)~

  4. obrigada x)
    vocês também podem participar das entrevistas. é só sugerir perguntas pra gente!

    abraço

  5. Pingback: Biquini Cavadão, Ao vivo – Volume 2 « Estúdio ao Vivo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s