Reggae Direto

Cidade Negra no Multishow (Viçosa · MG)


A mistura do som de Toni Garrido (voz e guitarra), Da Gama (guitarra e vocal), Bino (baixo) e Lazão (bateria e voz) passa pelo pop rock e pelas letras românticas, mas é na Jamaica que o grupo busca a essência do Cidade Negra. Em um dos primeiros shows da nova turnê, Lazão conta que para o cd/dvd Direto a banda “propôs uma coletânea de músicas, com o maior carinho. (Nós) cantamos músicas do primeiro disco, fizemos versão de músicas antigas pra levadas novas”.

O show conta com a participação do tecladista Alex Meirelles e do guitarrista Sérgio Yazbek, que surpreendeu ao final do show cantando Stir It Up (Bob Marley). Cidade Negra emocionou o público com uma versão reggae de O Tempo Não Pára (composição de Cazuza) e também homenageou toda a Geração Coca-Cola com o som do Legião Urbana.

Após o show, Lazão conversou com o Estúdio Ao Vivo.

Tom Hertz · O que mudou no Cidade Negra nesses 20 anos de estrada?
Lazão · É a experiência. Assistir as mudanças, o cinema, a movimentação social com que lida o artista traz também uma experiência pra gente no decorrer da carreira. Então a vivência do dia-a-dia, a estrada, tudo isso está no novo trabalho do Cidade Negra, Direto. Mas o que pesa na realidade é um pouco da experiência. E da responsabilidade maior, também (risos).

Tom Hertz · Como você define o Cidade Negra?
Lazão · O estilo do Cidade Negra é uma banda de Reggae que se propõe a fazer música livre.Acho que de qualquer banda o que todo mundo pretende fazer é isso. Você gostar e se identificar com o ritmo ou qualquer tipo de idealismo e ter isso como referência boa na sua vida. Que goste e se identifique com o reggae porque é uma música de paz, é uma música revolucionária e quem se revoluciona não pode ficar parado fazendo a mesma coisa, tem que experimentar fazer outras coisas.

TH · Você acha que no Brasil o Reggae deveria ser mais valorizado?
L · Eu acho que está num bom caminho. Há 20 anos, quando o Cidade Negra começou, existia o Reggae, mas não da forma como existe hoje no Brasil, com bandas brasileiras representando no mercado, no cenário musical brasileiro. Daqui a 20 anos, você vai ver que o som (dessas bandas) pode estar igual ao som do Cidade Negra hoje.

TH · Qual a diferença de público da Jamaica em relação ao do Brasil?
L · O público jamaicano tem uma coisa de curtir mais, de ficar ouvindo… Aqui no Brasil ele pula mesmo, ele joga a mão pro alto… Na Jamaica tem um comportamento diferente, porque é uma cultura de influência inglesa, apesar de ser Caribe, de ser quente.

TH · O som do Cidade Negra tem mais a influência do Reggae jamaicano da Jamaica ou vocês procuram fazer uma mistura?
L · A gente tem influência do Reggae da Jamaica, mas tem influência das nossas características aqui no Brasil também. Isso que é o mais importante.


···
Confira o setlist do último show do Cidade Negra:
1. A Flecha e o Vulcão
2. Já Foi
3. Negro Rei
4. Sábado à Noite
5. Não Capazes
6. Pensamento
7. Doutor
8. Extra
9. B. Boys
10. A Sombra da Maldade
11. Palavras Cortam Mais que Navalha
12. O Tempo Não Pára
13. Johnny Be Good
14. O Paraíso Tem um Tempo Bom
15. O Vacilão
16. Firmamento
17. Girassol
18. O Erê / Stir It Up
BIS
A Estrada
Geração Coca-Cola

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s