Entrevista exclusiva com Henrique Portugal

Entrevista exclusiva com Henrique Portugal

O Estúdio ao vivo entrevistou por e-mail o tecladista do Skank, Henrique Portugal (abaixo, à esquerda), que falou sobre a nova fase da banda e o CD recém lançado, Carrossel.

Tom Hertz · Qual a essência do CD Carrossel?
Henrique Portugal · A essência do Carrossel é mostrar boas canções tentando resgatar um pouco da simplicidade do inicio da carreira, onde as músicas eram mais diretas.

Tom Hertz · Qual a idéia que vocês querem passar com a arte da capa?
Henrique Portugal · Na verdade a idéia foi ao contrário. Quando estavamos finalizando as gravações do CD começamos a pesquisar sobre opções de capa. Foi através do nosso empresário , Fernando Furtado, que chegamos a esta arte. Ela é de um artista americano chamado Glen Barr e o trabalho original se chama Carossel of souls. Foi daí que saiu o nome do CD.

Tom Hertz · O que há de mais diferente e inovador neste trabalho em relação aos outros 8 CDs do Skank?
Henrique Portugal · Sempre procuramos mostrar boas canções e acho que conseguimos uma mistura interessante de músicas elaboradas e algumas mais diretas, como por exemplo a “Mil acasos”.

Tom Hertz · O que há de mais importante em cada uma das duas fases do Skank que vocês resgataram no Carrossel?
Henrique Portugal · O mais importante nas duas fases é que conseguimos fazer uma mudança com relação as referencias musicais e o nosso público entendeu muito bem.

Tom Hertz · Quais as influências musicais do Skank? O que escutam hoje?
Henrique Portugal · Escutamos muita coisa e sempre procuramos saber o que está acontencendo fora do Brasil e também com relação às novidades locais. Eu, por exemplo, tenho um programa para bandas independentes. Confesso que aprendo muito com estas bandas que apresento no programa.

Tom Hertz · Qual a mudança mais intensa pela qual vocês passaram desde o início da carreira?
Henrique Portugal · A grande mudanca aconteceu no disco Maquinarama. Acho que neste ponto arriscamos uma guinada na carreira . Muita gente criticou mas depois de algum tempo acho que estávamos com a razão.

Tom Hertz · Defina o que é o Skank hoje.
Henrique Portugal · Acho que o Carrossel é a grande definição do que somos hoje.

Tom Hertz · Vocês têm um público de faixa etária muito ampla. O que faz com que o som do Skank aproxime gerações?
Henrique Portugal · É difícil saber como o som do SKANK atinge as pessoas. O que acontece hoje no Brasil é um certo medo das bandas de ser acessível ao grande público. Isto dificulta a aceitação da maioria delas. Eu acho isto meio esquisito pois, afinal de contas, você grava uma canção exatamente para que as pessoas possam conhecer e gostar do seu trabalho.

Tom Hertz · Uma canção do Skank é para quê?
Henrique Portugal · Cada uma tem a sua função e reflete um momento ou a nossa visão para alguma coisa que está acontecendo no nosso cotidiano. A letra da música “Uma canção é pra isto” explica muito bem pra que serve uma canção!

Abraço,

Henrique Portugal

···

Agradecimentos:
Henrique Portugal · tecladista
Camila Bahia · produtora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s