O fim dos Beatles marcou o início de uma era emblemática do rock. De um lado, letras e melodias mais elaboradas, música para “bom entendedor” ouvir. Quem acompanhava o estilo desde a década de 60 estava satisfeito. Pontos para o Rock Progressivo, cada vez menos underground, com composições que valorizavam os solos e não deixavam morrer o estilo psicodélico.

Mas e a nova geração?

Para atender aos apelos dos jovens na música dos anos 70, os hits fáceis de se cantar e tocar eram a solução. Rebeldia, visual punk e letras estilo “sexo, drogas e rock’n roll” ganharam pouco espaço, mas fizeram barulho.

Nesse ritmo, a diversidade impera. Elementos do reggae e do pop começaram a ser incorporados às melodias e novos estilos surgiam (como o chamado new wave, o heavy metal e o hard rock). Resultado: roupas pretas de couro, cabelos longos, muita atitude no palco, guitarras mais distorcidas, baixo marcante e eternas lendas do rock.

A década de 80 trouxe uma reviravolta. No lugar da rebeldia, góticos e melódicos tomavam espaço. A era pós-punk era mais poética, mas, como em toda história do rock, sempre havia quem quisesse negar os ideias da época. Do outro lado, surgia um new wave mais exagerado, de roupas coloridas e melodias dançantes.

Mas os grupos da época eram bem efêmeros, por assim dizer, seja por carreiras solos dos integrantes ou exageros – que incluíam álcool e drogas.

Bowie é Bowie
Ele começou com o sax. Depois, mostrou a força da voz. Aí vieram personagens, filmes e o “camaleão” mostrou a face. Ele é Bowie e não exige muita explicação. Com o estilo mais performático do rock, influenciou o modo de se fazer música ao de se fazer moda.

Purple
Clássico e hard rock formam a cor do Deep Purple. Rod Evans nos vocais, Ritchie Blackmore nas guitarras, Nick Simper no baixo, Ian Paice na bateria e o tecladista Jon Lord começaram literalmente com um Concerto For Group & Orchestra (primeiro álbum). Após assumir o puro rock inaugurado nos anos 70, o grupo experimentou altos e baixos na carreira, mas é lembrado como um grande nome da música.

Rebeldia
Malcom McLaren comercializava artigos de couro e idealizou uma banda “de atitude” que fosse formada pelos seus próprios clientes. Glenn Matlock (baixista, mais tarde Sid Vicious), Steve Jones (guitarrista), Paul Cook (baterista) e Johnny Rotten (vocal): estava no ar o Sex Pistols, que se tornou símbolo de revolta contra os valores tradicionais britânicos. Foram três gravadoras, uma turnê pelos EUA, ataques diretos à Coroa e um grande problema: desafiava demais o sistema e não encontrou boa aceitação. O fim do Sex Pistols marcou o início de grandes influências.

Underground
Sting no baixo, Stewart Copeland na bateria, Henry Padovani na guitarra e o vocalista Cherry Vanilla: essa é a formação original do grupo The Police, que começou independente e ganhou destaque logo de cara no cenário dos novos nomes da música britânica. Já com Andy Summers na guitarra, o grupo entrou para as Top lists dos EUA e da Inglaterra, seguiu numa turnê nada comum – passando por Índia, Egito e Grécia – e acabou como um grande sucesso da época.

Punk extremo
Iron Maden traduz o peso do ritmo que Steve Harris praticamente inaugurou com a música “Burning Ambiton”. Dave Murray, Paul Di’Anno, Doug Sampson, Clive Burr e Dennis Stratton completam a formação original do grupo que revolucionou o modo de fazer as guitarras vibrarem nos shows.

A década de 80 foi recheada de grandes públicos e a popularização do estilo levou o Iron às melhores posições nas vendas de discos. Problemas de discórdia entre os integrantes, boatos e mudanças de formação não abalaram aquele que talvez seja o grupo mais Metal do rock britânico.

Solos
O talentosíssimo guitarrista Jimmy Page, juntou-se a Robert Plant, John Bonham e John Paul Jones para formar o grupo New Yardbirds, em referência à antiga banda de Page. o som “pesado que voava”, transformado em Led Zeppelin, trazia um blues agregado às raízes do Heavy. Inusitados solos de guitarra e bateria fizeram o Led superar o sucesso de crítica dos nostálgicos Beatles. Nascia um dos grandes fenômenos do rock. Soul, reggae e música celta eram a mistura que fez a banda se distanciar do estilo original. Mas eles continuavam quase solos no topo das paradas de sucesso.

Boas causas
Um anúncio foi o começo de tudo. A atitude do baterista Larry Mullen atraiu Bono Vox, o guitarrista The Edge e o baixista Adam Clayton para tocar covers de Beatles e Rolling Stones. É o grupo conhecido também em matéria de diplomacia e política.

De Sunday Bloody Sunday da década de 80, passando pelo disco Pop, mais experimental, e chegando ao How to Dismantle an Atomic Bomb, U2 não perde a linha do rock tradicional. Efeitos especiais, mega produções e shows-surpresa fazem do grupo um dos mais populares da atualidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s