Nasce o Britpop e um novo fenômenoO Britpop foi um termo utilizado no início da década de 90 para definir a música popular feita na Grã-Bretanha na época. O disco The Modern Life Is Rubbish, do Blur, de 1993 é considerado o marco inicial dessa nova era da música britânica.

Um dos primeiros representantes dessa nova onda musical foi o Radiohead. Formado em Oxford, o grupo é um dos maiores representantes do rock inglês dos anos 90. Ok Computer (considerado um dos maiores discos de todos os tempos) e The Bends foram os dois maiores sucessos da banda, que conquistou seu espaço com suas letras melancólicas, muitas vezes depressivas, da ousadia instrumental e temática, além do experimentalismo.

Rock N’ Roll Stars

Um ano após o Blur dar o pontapé inicial no Britpop, foi lançado o primeiro disco da banda que seria a maior representante da música inglesa dos anos 90, para muitos, a maior desde o Queen. Proveniente da industrial Manchester, que vivera grande euforia musical na década de 80, com o movimento Madchester, Oasis, comandado pelos polêmicos e encrenqueiros irmãos Gallagher, despertava para o mundo com o álbum Definitely Maybe.

Em 1995 sai o álbum (What’s The Story?) Morning Glory que vendeu aproximadamente 22 milhões de cópias. O disco conta com Wonderwall, Don’t Look Back In Anger, Cast No Shadow, entre outras. O disco aumentou ainda mais a popularidade da banda ao redor do mundo, mas principalmente na Inglaterra. O sucesso foi tamanho que se tornou comum no país fazer a pergunta “What’s the story? (em português, Como vai você?) e se responder “Morning glory”, pra dizer que está tudo bem.

Além disso, o estrondoso sucesso do Oasis acirrou uma rixa antiga com o Blur, chegando ao ponto de os integrantes das duas bandas trocarem ofensas na mídia. Dessa briga nasceu a Batalha do Britpop, tal qual a rivalidade entre rooligans ingleses. É fato, porém, que poucas vezes os rapazes de Manchester perderam nessa ‘guerra’ pelo topo.

Coadjuvantes de peso

A partir da segunda metade da década de 90, novas bandas começam a aparecer nesse cenário que parecia monopolizado por Oasis e Blur. No auge da batalha, Richard Ashcroft e o The Verve saem em turnê com o Oasis, estouram com a bela Bitter Sweet Simphony e, da noite para o dia, dissolvem a banda. Ao mesmo tempo o Placebo, que faz um rock diferente dos padrões, com um visual andrógeno, relembrando ícones como David Bowie, também aparece e estouram nas paradas de sucesso algum tempo depois com Every You And Every Me. O Muse também surgiria nessa época, apesar de só lançar seu primeiro cd em 1999, assim como o Keane, que só viria a aparecer no começo da década seguinte. Belle e Sebastian e Snol Patrol também ganharam destaque com seus bons lançamentos, assim tornaram-se as grandes representantes do Indie Rock britânico da década passada, ao lado do Supergrass.

Uma nova disputa

No fim da dos anos 90, duas bandas fariam a segunda batalha do Britpop. Sem declarações polêmicas, apenas no campo musical e na disputa por vendas, os escoceses do Travis e os ingleses do Coldplay foram os protagonistas dessa vez. Partilhando de um estilo musical semelhante, as duas bandas tomaram a frente do rock britânico durante o período de transição do Oasis e a decadência do Blur. Os escoceses tiveram como mega sucessos músicas como Good Feeling, Sing e Side, já os ingleses contaram com Yellow, In My Place, Clocks, The Scientist e, mais recentemente, Fix You.

Nova Geração

A música popular britânica ganhou novos representantes de peso nos últimos anos. Além de Coldplay e Oasis, voltando ao cenário, bandas como Kaiser Chiefs, que abusa do rock Glam vibrante e cheio de sátira, assim como o The Darkness, do vocalista Justin Hawkins e sua inspiração nas bandas de hard rock dos anos 70 e 80, que o levou a ser considerado um dos personagens mais bizarros do rock. Darkness chegou ao sucesso mundial graças à divertida I Believe In A Thing Called Love.

Bandas do Indie Rock também ganharam muito espaço a partir da segunda metade dessa década. Artic Monkeys e Franz Ferdinand são os maiores exemplos disso. O sucesso das duas abriu caminho para uma nova leva de bandas como o The Delays, Kassabian, Hard-fi e Aqualung.

Os anos passam e o rock na Grã Bretanha continua produzindo músicos (e músicas) de boa qualidade em escala industrial e consolidando a ilha como o berço do rock moderno.

2 comentários sobre “

  1. Boa recaptulação para o rock inglês! Acho que faltou apenas sobre o movimento “Madchester” liderado pelo “Stone Roses” (fim dos anos 80), que a meu ver merece mais ser “marco” do “estilo” britpop.
    Legal também comentar que este movimento tem início muito influenciado pelo movimento punk e pós-punk da inglaterra. A exemplo, a grande influência sobre o “Blur” da banda “Wire”.

    Abraços!

  2. Esclarecendo um pouco …

    Faltou falar mais de Madchester mesmo, foi um movimento bem bacana, o problema todo foi espaço. Na questão do “marco” do Britpop, foi levado em consideração mais o que a imprensa inglesa colocou como marco – que é o período em que as bandas alcançaram maior suceso – e não as influências e os primórdios do estilo. E eu concordo contigo que o marco inicial, musicalmente falando, tenha sido o Stone Roses, que por sinal é uma banda e tanto, mas infelizmente o marco que é reconhecido é o Modern Life, do Blur.

    Abraços

    Oswaldo Botrel

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s