Di(fundindo) a Cuca


A Tropicália foi uma boa patada no nacionalismo. Porque não tinha como ser nacionalista num país que ninguém reconhecia. Foi anti-elitista. Porque a elite estava com os olhos vendados diante da realidade do País – que crescia, mas só afundava. Foi de ruptura. Que MPB que nada, eu quero mais eletricidade!

Ditadura, AI-5, Médice, ano de chumbo, 1967. Realidade demais pra pouco movimento.

É nessa que vem a revolução da estética hippie, com influência dos Beatles, vejam só, e muita guitarra elétrica junto ao nada requintado da cultura brasileira. Nada de Bossa Nova pra gringo ver: era Tropicália pro Brasil se enxergar.

O Movimento que abrange artes plásticas, música, cinema, teatro e poesia não era organizado. Aliás, grande “pecado”: ele rompia com a concepção de Movimento. Tudo foi acontecendo às claras, expontâneo, sem pré-determinações. Porque controle já se tinha ao extremo.

Tropicália traz em Panis Et Circenses um misto de tradição e modernidade, de cafonismo e humor. Como grandes brincalhões, os tropicalistas falavam mais alto que as vaias pra mostrar a importância da luta de verdade. Não aquela em qualquer refrão de música. Berravam pelo respeito às diferenças e pela reinterpretação cultural. Postura afirmativa, sim. E acima de tudo, postura.

Uma grande novidade foi a participação de maestros com formação clássica erudita. Rogério Duprat, Júlio Medaglia e Damiano Cozzela deram às obras musicais arranjos grandiosos, que reforçavam o tom lúdico das apresentações cheias de roupas coloridas e grandes cabelos encaracolados.

Cabelos que foramcortados em 1968, com o exílio de Caetano e Gil. Mas a voz do primeiro ainda ecoava: “vocês estão por fora! Vocês não dão pra entender. Mas que juventude é essa? Vocês jamais conterão ninguém. Vocês são iguais sabem a quem? Àqueles que foram na Roda Viva e espancaram os atores! Vocês não diferem em nada deles, vocês não diferem em nada.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s