Sobre o som_Vida louca vida


Fosse uma letra de Cazuza talvez não representasse tão bem o momento em que o cantor passava após descobrir-se portador do HIV. Vida Louca Vida foi gravada pelo próprio compositor Lobão [que a escreveu em parceria com Bernardo Vilhena] em 1987, no LP Vida Bandida.

Cazuza selecionou a música do amigo para o tribudo a si mesmo [O tempo não pára – ao vivo] lançado no início de 1989. Naquele ano, o filho único da dona Lucinha assumiu publicamente o vírus da AIDS que acabou por trocar-lhe a “vida imensa” por uma “vida breve”.

Vida Louca Vida
[Lobão · Bernardo Vilhena]

Se ninguém olha
Quando você passa
Você logo acha
A vida voltou ao normal
Aquela vida sem sentido
Volta sem perigo
A mesma vida tudo sempre igual
Se alguém olha
Quando você passa
Você logo diz
Palhaço
Você acha que não está legal
Perde logo a noção do perigo
Todos os sentidos
Você passa mal
Vida louca vida
Vida breve
Já que eu tudo posso te levar
Quero que você me leve
Vida louca vida
Vida imensa
Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa
Se ninguém olha
Quando você passa
Você logo acha
Tô carente
Sou manchete popular
Me cansei de toda essa tolice
Babaquice
Essa eterna falta do que falar.

O Estúdio ao Vivo aproveita da criatividade genial de Lobão e Bernardo, muito bem arranhada na voz do nosso homenageado da semana, para escrever Sobre o Som Vida Louca Vida um poema que dialoga dois extremos: o Exagerado e seu lado oposto.

Vida Louça, Vida
Vida leve.
A leve sem se arriscar,
em porcelana se insere.

SIDA, pouco insida!
Si se atreve
não a queira compartilhar,
que não a vida entregue!
Á vida se entregue!

Nada ávido, pouco ativa.
[A] nada serve.
Quando vir que em plena a vida se perde,
prossiga puro e não apele.

Em vida ousa, agita!
A nada deve!
Que não queira, ante o apuro, lamentar.
Ao descuido não a encerre.
Anúncios

2 comentários sobre “Sobre o som_Vida louca vida

  1. “Que não queira, ante o apuro, lamentar.
    Ao descuido não a encerre.”

    Vida Louca Vida é a música que melhor representa o Cazuza e toda sua tragetória musical. E o Sobre o Som deu um realce ainda maior na vida louca do poeta. Muito bom mesmo, Sávio! Só pra variar …

    Abs

  2. Só pra variar, muitos elogios e muito orgulho de ser amigo do poeta!
    agora entendi a questão sobre a “louça”…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s