Soy Loco Por Ti América

Soy Loco Por Ti América!

A América Latina é um turbilhão musical. Vários estilos se fundem (e se confundem) por todos os lados. A maior variação de expressões musicais acontece no Caribe, onde praticamente todas as ilhas têm um estilo tradicional.

O país que mais exporta sua música para o mundo, curiosamente, é Cuba. Mesmo isolada economicamente, a ilha não deixa de compartilhar a arte produzida por lá. Produto da fusão entre ritmos espanhóis, franceses e africanos, o Mambo é um deles, assim como a Rumba.

Ainda por lá nasceram a Salsa e o Chá-Chá-Chá. A primeira é, hoje, uma das danças mais populares do mundo. A popularidade veio na década de 70, quando se difundiu nos bairros ‘latinos’ nos EUA. A salsa – que tem esse nome por causa da hortaliça utilizada como tempero – é uma mistura de ritmos caribenhos, que vão do reggae jamaicano, passando pelo mambo e o calypso.

Outro estilo afro-caribenho, o Calypso se tornou popular em Trinidad e Tobago. Também influenciado pelo reggae e pela batida do ska (também jamaicano), o estilo ganhou o mundo e chegou até o Brasil. Um fato exótico ilustra bem essa mistura, mesmo tendo suas origens no Caribe, a banda que melhor difundiu a vertente musical pelo mundo foi a moçambicana Companhia do Calypso.

Da República Dominicana vem o Merengue, que tem esse nome por causa de um passo de uma dança havaiana chamada Upa Habanera. Seu ritmo alegre e contagiante chegou à América do Sul, principalmente à Colômbia e Venezuela, com bandas que lembram as big bands de jazz.

A Cumbia colombiana também pode se inserir neste contexto, pois é uma das maiores influências para quase todos os estilos musicais caribenhos, principalmente o Merengue e a Salsa. A Cumbia, que se difundiu tanto pela América Central quanto na própria América do Sul (principalmente Argentina), é tocada com instrumentos indígenas e utiliza elementos musicais africanos.

Por último, a Plena, música típica de Porto Rico, com suas temáticas divertidas que beiram à sátira, conquistou muitos adeptos, principalmente na década de 90, quando viveu seu melhor momento.

O Caribe é um grande caldeirão, onde podemos misturar todos os ritmos e temperar com um pouco de salsa no final. Se em alguns lugares as coisas terminam em pizza, nas ilhas da América Central, com certeza, elas terminariam em muita dança.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s