A força do Rock, o improviso do Blues

Uma mistura de influências, personalidade vocal, arranjos inusitados e acordes precisos.

Entre espontaneidade e uma energia que contagiou o público do Projeto Musical Box Alive XII, a banda tricordiana Flávia Duboc Blues Band subiu pela primeira vez ao palco no dia 07 de novembro, em Viçosa – MG.

Banda Flávia Duboc Blues Band e produção do Musical Box Alive

A estréia, carregada de experiência e sintonia entre Júlio Paiva (bateria), Cristiano Lemos (guitarra), Cristiano Valério (contra-baixo), Fernando LemosTanando – (guitarra e vocais) e Flávia Duboc (vocal), refletiu a qualidade dos músicos e o processo de produção do primeiro CD da banda, em fase de finalização.

Antes do show, os integrantes conversaram com o Estúdio Ao Vivo sobre a estréia nos palcos, as influências e a reunião de músicos para trazer a força do Rock’n Roll à tradição do Blues.

A reunião dos músicos
Tanando – Eu sou tricordiano mas morei 23 anos em BH, então eu toquei com todo mundo lá: Samuel, antes de Skank, conheço ele há mais de 20 anos, desde 1983; o Marco Túlio do Jota Quest foi tecladista da minha banda, que chamava Outsider, de Blues Rock também, e por aí vai.

A experiência de Fernando Barbosa (Tanando)

A experiência de Fernando Lemos (Tanando)

Quando eu voltei para Três Corações, depois de 23 anos, eu quis continuar. E o Cristiano baixista e o Cristiano guitarrista têm formação de banda de baile, tocaram muito tempo em banda-show, o Julio é formado em bateria em consevatório, fez aula até com o Tom Zé, eu tinha uma banda em Três Corações chamada “Lá vai porva”. Mas aí quando eu conheci a Flávia lá em Cambuquira, a gente resolveu gravar um CD. E eu fiquei fascinado com a h ipótese de ter uma mulher tocando, porque eu adoro vocalista mulher de Rock’n Roll. Sempre procurei isso em BH e não consegui, e nunca imaginei que fosse encontrar ela lá do lado da nossa fazenda, em Cambuquira.

Flavia – E ele veio de BH e eu de Macaé.

Tanando – E tem mais essa, a Flávia morava em Macaé, eu morava em BH. O lha o tamanho do Brasil. Eu mudei pra fazenda, ela mudou pra Cambuquira, a gente se conheceu e resolveu montar a banda porque isso já era um projeto que eu tinha há muito tempo, de fazer uma banda de Blues Rock’n Roll. Não é u ma banda de Blues específico. Você vê que é bem pauleira.

Eu tenho uma banda que eu já toquei com os dois “Cristianos”, a Flávia tem a banda dela que é lá de Cambuquira, mas a gente resolveu montar uma banda de Blues Rock. Então vocês estão tendo a oportunidade de ver em primeira mão.

A versatilidade instrumental de Cristiano Lemos e Cristiano Valério

A versatilidade instrumental de Cristiano Lemos e Cristiano Valério

A gravação do CD
Tanando – A gente já está bem adiantado em fase de finalização do CD e, antes de terminar, surgiu o convite de a gente tocar aqui. E aí a gente apenas adiantou uma agenda, porque isso já ia acontecer.

Eu tenho um estúdio de gravação meu na fazenda. Então eu estou gastando todo o tempo que eu quero para que saia o mais perfeito possível. Já faz dois anos que a gente está gravando. Todo mundo trabalha, estuda, então a gente está gastando o tempo da melhor maneira possível e está ficando muito legal. Porque não tem a preocupação do “taxímetro” ligado, a gente grava quando quer, na hora que quer, no dia que quiser, do jeito que quiser e refaz o quanto quiser, se quiser.

O repertório: do CD ao show
Tanando – A gente tem um projeto de fazer o segundo CD inteirinho com músicas próprias em inglês, então a gente já tem muita coisa. Mas esse primeiro CD a gente resolveu fazer covers, a maioria bastante modificado.

No show que a gente vai apresentar, a gente vai ter algumas dessas músicas do CD e alguns covers mais tradicionais pra colocar a galera pra conhecer a banda, tipo um show padrão de banda de Blues cover. Então tem Eric Clapton, Jimi Hendrix, Janis Joplin. O trio já resume tudo. E tem algumas coisas menos conhecidas no meio do Blues. Tem Dire Straits, vai rolar Beatles, tem Rory Gallagher. Em síntese é isso: um apanhado do que tem de melhor no Blues Rock.

Público

Tanando – A grande dificuldade é não estar nos Estados Unidos. A gente tinha que estar nos Estados Unidos pra fazer o som que a gente faz. Mas de qualquer maneira tem muita gente que gosta. Então, a gente procura um público específico, porque o público de Blues Rock é um público seleto, que tem grana, então você nunca vende muitos cds, mas eles compram todos os cds. Tem muita banda que vive disso, tipo Blues Etílico, Celso Blues Boy, Fernando Noronha, que tem uma carreira no exterior absurda. Então é perfeitamente possível a gente conseguir um lugar. É só trabalhar em cima.

A expressividade e o timbre de Flávia Duboc reforçam a identidade da banda

Universo musical
Tanando – Influências têm demais. A minha é Rory Gallagher, Eric Clapton e uma banda argentina que chama Crucis, e tem um guitarrista que é um cara que eu ouvi tocar nos anos 70, 80 e eu era adolescente e pirei com o camarada, então tenho muita referência dele.

Cristiano Lemos – Ah, eu toco de viola caipira até… se tem corda, eu estou tocando.

Júlio – Eu considero minha pegada, meu estilo de tocar, um estilo que mescla bastante técnica utilizada no Jazz, mas com pegada Rock’n Roll. Minas influências são basicamente Carter Beauford, que toca com a Dave Matthews Band, Danny Chambers, claro sem a pretensão de tocar como eles. Dos nacionais tem Kiko Freitas, Carlos Bala.

Cristiano Valério – Eu cresci ouvindo sertanejo. Na estrada de baile, então fui pegando vários estilos. Mas assim, eu curto bastante a pegada do PJ. E, agora, entrando na onda do Rock’n Roll.

Flávia – Ah cara.. é Janis [Joplin], Pink Floyd e Beatles.

·······
Ainda que a apresentação tenha sido a primeira experiência ao vivo do grupo, os integrantes mostraram que têm potencial para se destacar no cenário musical mineiro.

Agradecemos aos produtores do Musical Box Alive – que já planejam um novo evento em dezembro – e aos músicos de Flávia Duboc Blues Band.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s