Delírio sem febre

topo3

Em um misto de lembranças e presença marcante, quem assistiu ao show do grupo Nem Secos, na noite do último sábado, sentiu a energia transbordada pelos rostos pintados, pelos detalhes gestuais e expressões escancaradas no palco.

Mais do que reviver a poesia de Secos e Molhados, o grupo traz uma nova identidade e arranjos próprios para canções consagradas. Tudo com uma pitada de espontaneidade, prazer e emoção.

Após três vindas a Viçosa-MG (2003, 2007 e 2008), o grupo Nem Secos se apresentou novamente na cidade no último sábado, dia 19 de setembro, no espaço Galpão. A iniciativa do show partiu do Projeto Musical Box Alive, em sua 11ª edição, que também trouxe The Teddies com interpretações de The Beatles e outros clássicos britânicos.

Vindos de Belo Horizonte, os integrantes do Nem Secos acabavam de chegar a Viçosa e estavam no Galpão, por volta de sete horas da noite, realizando os últimos ajustes para o show.

Já na passagem de som, enquanto esperávamos pela segunda entrevista do grupo ao Estúdio ao Vivo (a primeira, realizada em 2008, você confere aqui), a afinação das vozes e a equalização dos instrumentos prometiam uma grande performance – assistida horas depois por um público de cerca de 550 pessoas.

Após rápidas interpretações, Pablo Cardoso (vocal), Carlos Wagner (guitarra) e Carlos Linhares (baixo e vocal) nos receberam para falar um pouco sobre os novos integrantes, o espetáculo da noite e os projetos do grupo. Continuar lendo