Rica MPB , Puro Rock

De um lado cantigas populares, sons de origem africana, músicas eruditas européias e cantos típicos indígenas. De outro, acordes elétricos, ritmo rápido com marcações da música negra do sul dos EUA e das sonoridades do country: a Música Popular Brasileira (MPB), da bossa nova ao samba, com pitadas de expressão folclórica, nascida ainda no período colonial e o Rock’n Roll, de Elvis Presley ao “new rock”, passando pela distorção e a rebeldia desde a década de 50.

Foi a união das influências e da história que levou ao Espaço Galpão (Viçosa-MG), no dia 16 de abril, o compasso da festa MPB Rock, apresentando Carol Reis e Pura Água como expressão da qualidade e da mistura dos ritmos.

Continuar lendo

Amplifica [3]: Puro Rock, Pura Água

Integrantes
Adson Sant’Anna – bateria
21 anos de carreira: pop, rock, jazz, MPB.

Cezar Sant’Ana – guitarra
15 anos de carreira: hard rock, blues, Led Zeppelin.

Francisco Alves – baixo
25 anos de carreira: rock, samba, forró.

Geraldo Luís – voz
5 anos de carreira: blues, pop-rock.

Desde novembro de 2009, a experiência e a energia musical marcam a apresentação da banda Pura Água. A estréia da formação atual foi na abertura do show de Nenhum de Nós em Viçosa-MG, quando Geraldo Luís participou do show da então Ares Band, formada por Francisco Alves, Adson Sant’Anna e Cezar Sant’Ana.

Banda Pura Água durante apresentação no Flor & Cultura

Com bom humor, irreverência e o lado escrachado do BRock* dos anos 80 – a base do repertório dos shows -, a banda preocupa-se em formar uma identidade através da valorização da música nacional e das letras que, apesar de terem sido entoadas há 30 anos, ainda revelam ao público a mensagem sobre a realidade atual do país.

Escrachar, no bom sentido, o contexto social e político do Brasil. (…) e a vida, por pior que possa ser, é única. Então, a gente também tenta levar alegria, quer ver todo mundo cantando, batendo palma. Acho que é o casamento do bom humor com aquela pitada de realidade. (Geraldo Luís – vocalista).

Pura Água traz ao palco a memória viva de Raul Seixas, Titãs, Ultraje a Rigor, Lobão e Rita Lee, acompanhada do aviso: “Abram os olhos que muita coisa de errado ainda está acontecendo nesse mundo” (Geraldo Luís).

*O Brock é a denominação comum do estilo de rock nacional dos anos 80, que mistura influência estadunidense e inglesa à pegada simples e rústica do Punk. As bandas, formadas por adolescentes de classe média, expressavam em letras e melodias a falta de perspectiva de seu cotidiano.